sexta-feira, 23 de outubro de 2009

SENTIMENTALIDADES

Pois é... depois de muito resistir, eis que estou aqui, rendida.
Tenho um blog para chamar de meu. E resolvi fazer isso na hora em que não tenho tempo nem para fazer xixi... Acabo de ter meu segundo filho, ele é um amor, mas adora ficar acordado de noite... e como meu primeiro filho adora pertubar de dia, ainda não encontrei uma sobrinha para mim... Talvez seja por isso que estou aqui... esse é o motivo.
Quero encontrar comigo!!! Já que meu marido eu só encontro (literalmente encontro), de vez em quando na hora de dormir (quando os horários batem), meus amigos então! Só aquela visitinha rápida com olhar de compaixão e aquela máxima, "nossa como você está bem!".
Tô bem nada gente! Tô gorda, cansada, assexuada, com dores em lugares que nem conhecia, assustada com o filho pequeno e indefeso, assustada com o filho maior e sagaz, assustada com o futuro, com as contas, com a casa que resolve cair justo nessa hora, com o peito que resolve cair justo nessa hora... ele aguentou tanto tempo...
Mas tô feliz a beça gente!! Descobri que nasci pra por filho no mundo. Não sou fresca e dada a sentimentalidades... mas adoro parir e cuidar. Educar é chato pra caramba, mas o resultado quando da certo é o maior barato!
Tá aí! Tô chegando gente!
Encontro com vocês por aqui... comigo também...

8 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Kyvia,
    Belos presentes para o mundo são seus filhos e poemas.
    E ótimo presente é esse blog.
    Pode tudo cair (exagerada...), é poesia e luz a sua existência!

    ResponderExcluir
  3. >> assustada com o filho pequeno e indefeso,
    >> assustada com o filho maior e sagaz, assustada
    >> com o futuro, com as contas

    Dever de ter direitos, direito de ter deveres.
    Tenhamos direito ao susto.
    Tenhamos direito ao berro !

    Nessa ditadura do politicamente correto, do perfeito, do otimizado, da eficiência em escala galáctica, tenhamos o direito ao medo, direito ao fracasso, direito a tudo dar errado, direito à morte, de sermos macacaos que se ergueram e não deuses que desceram.
    Tenhamos direito a não votar, direito de odiar. Na ditadura do humano e das luzes, perdemos a capacidade de sermos humanos.

    Surtei =)

    :PPP

    ResponderExcluir
  4. E parou porque?!
    Parou porque???
    Essas sentimentalidades lembram-nos do tribalistas de Xalã e de tantos outras inciativas.
    Poetas também esbarram nu duro mundo dos que tem mais horas para cumprir do que as 24 horas mortais. Nesse velha infância que agora vivemos é que mais ainda um gosto assistir suas
    bloguices, menina Kivia.
    Outra vez, faz pouco tempo, postei uma ótima poesia tua no Orkut.
    Prossiga poeta Kyvia!!!

    ResponderExcluir
  5. Tão bom surtar para poder (des)surtar...

    ResponderExcluir
  6. Morei em Friburgo, qdo meu prieiro filho nasceu, pois queria dar uma vida diferente, especial, nos seus primeiros anos.

    Um jardineiro me disse um dia, cuidando da horta comigo:

    -Quem tem horta e filhos vive mais
    Pq quer ver, tanto os filhos como as cenouras e alfaces crescerem...

    Achei lindo, ainda mais vindo de uma pessoa simples

    Que busquemos essa simplicidade, tão complicada a maior parte das vezes!

    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Vive mais, porque se cuida mais, para vê-los crescer...

    ResponderExcluir